segunda-feira, abril 21, 2008

Exercício Deprimente Número Um: A um pulo daqui

Estou a um pulo daqui. Não estou cá. Voei para longe. Fui pra fora, cá dentro.
Dias existem em que a vontade de estar presente no corpo desapareceu, e a mente evade-se com facilidade para todos os lugares que conhece, todos os refúgios que encontra nos meandros da imaginação. Felizmente que a minha imaginação é fértil, e imagina muito, muita coisa, muitos lugares, muitos acontecimentos.
Se a minha vida fosse pouca, ou não me bastasse, a imaginação trabalhava o resto!

6 comentários:

Alias disse...

Saudadinha... daquela, da boa!!!
Bonito exercicio este.
Assim... agridoce.

Beijo GRANDE

A Grafonola disse...

Chiça, ca ganda postada, xim xenhora. Maravilhosa. A minha imaginação voou atrás da tua.
Claro que a minha imaginação mete-me sempre a parir piriquitos transgénicos, mas não se pode ter tudo.

A Grafonola disse...

Sendo séria, qualidade que me falha em muito: adorei o texto. Devias começar a fazer uma colectanea e pensar em publicar.

perdigota disse...

Eh pá!!! Ela voltou!!!

E que jeito que essa imaginação deu em milhares de aulas chatas, não foi??? A sonhar com o Brasil e o Hawaii e outros sítios giros que ninguém conhece a não ser tu!
Presumo que deu igual jeito em reuniões "bibiescas"!!
Escreve mais!

A Grafonola disse...

Assino abaixo da perdigota. Temose fazer uma petição online para ela escreber mais.

Matchbox31 disse...

A imaginação é uma das melhores formas de viajar!