terça-feira, julho 20, 2010

Ensaios teóricos de alguém

…e se o mundo estivesse para acabar?

Despir-me-ia de responsabilidades alheias, curar-me-ia de infelicidades e procurar-te-ia num beijo salgado entre ondas serenas de um mar solitário.

Quebrava as amarras, soltava a minha existência e libertava-me num grito viajante em busca do que não existe.

Levava-me para longe, esquecia-me de tudo e, com a ingenuidade de uma criança, aprendia tudo de novo.

Apenas para me relembrar num regresso.

3 comentários:

Vani disse...

Eh lah... o teu dedo do pé é... uau! imagina se tivesse vindo do coração! ;-)

Rafeiro Perfumado disse...

E o beijo tinha de ser salgado?

Gio disse...

E se o mundo continuar na sua cadência normal...
Não deverá a crisálida se metamorfosear em borboleta;
Não deverá a semente desabrochar em flor;
Não deverá o rio aventurar-se na imensidão do mar ou o dia conquistar sistematicamente a noite;
Deveremos apenas ficar escondidos atrás de uma vontade, espectadores impávidos de uma vida que vai passando;
esperando que algo ou alguém superior a nós nos "empurre" para o desconhecido;
Não caberá a cada um de nós saciar a nossa constante insatisfação quer seja ela na procura de um beijo salgado ou no quebrar de amarras e no zarpar à procura de novos mundos...
Ou não será que é esta constante insatisfação que nos aprisiona, que não nos permite visualizar, sentir, viver a plenitude de cada pequeno momento do nosso dia a dia da nossa vida não nos deixando assim ter conciência de que afinal é preciso tão pouco para sermos FELIZES... (ou talvez não!!! ;)).

Seja como for e como alguém já to disse o teu dedo do pé, ou melhor os devaneios do teu dedo do pé são... uau!