sexta-feira, junho 13, 2008

Exercício (...) número Um: Não escrever!

Não escrever é bom.
Não é bom, mas é.
Significa que não tenho um tumulto a implodir-me pelos dedos. Não tenho um desvario de emoções que preciso exorcizar. Não estou num desatino de sentimentos.
A sensação de calma interior é pacificadora e regenera-me.
O caminho percorrido, deixo-o para trás. Trago comigo os erros que cometi, as lições que aprendi, as recordações e os esquecimentos.
E sigo em frente. Continuo no trilho, à procura de um “porto” de abrigo, e cada vez descobrindo que esse porto sou eu.
E nunca sabendo o que querer!

4 comentários:

A Grafonola disse...

A nossa missão na terra é descobrir o que queremos. Nunca queremos as mesmas coisas ao longo das várias etapas da nossa vida! E qd atingimos uma querença, precisamos de outra, que nos faça continuar a sentir que estamos aqui para lutar por algo.
Paz de sentimentos é optima sim. Já não sei o que é isso há muito... :-p

Alias disse...

Segue em frente sim!
Leva contigo todos os retalhos, lições, erros e agaslhos.
Para que não te esqueças do que ficou para trás.
Continua nesse trilho à procura do teu porto de abrigo, chegará alguém que o irá partilhar contigo.
Porque a vida é assim... simplesmente acontece.

Beijo GRANDE B.

Matchbox31 disse...

Não há nada como escrever apenas quando nos apetece... quando realmente sentimos necessidade de o fazer... quer seja para "exorcisar" algo que paira sobre nós quer, simplesmente, porque sim...

Tânia Pereira disse...

Lindo catarina, lindo!